(Texto publicado na Revista Educação Infantil, da Editora Escala)

Marcelo Serralva

O brincar mudou. Se antes brincávamos com o que tínhamos a mão, fazendo nossos próprios jogos e às vezes até os brinquedos, hoje tudo é industrializado ou digital. Sem entrar no mérito do que é melhor – o brincar novo ou o antigo – o fato é que muitas brincadeiras ainda resistem, no pátio das escolas ou playgrounbds de prédios. E que a sedução delas sobre as crianças continua a mesma , quase que imune ao tempo. Então, porque não resgatarmos brincadeiras antigas de nossos pais e nossos avós, para aumentar o repertório de nossas atividades?

COLETANDO INFORMAÇÕES
Primeiro, você pode coletar das crianças as brincadeiras que elas conhecem. E também sugerir que elas tragam de casa as informações sobre seus familiares: o que brincaram quando eram crianças? Como era esta brincadeira?
Todas estas informações podem compor um caderno, ou um quadro, com as seguintes informações:
Nome da brincadeira
Regras
Jeito de brincar
Ilustrações (se possível) demonstrando o modo de brincar.
Algumas brincadeiras possuem músicas, é importante coletar estas músicas também.

INTEGRANDO PAIS E AVÓS
Uma outra sugestão é convidar familiares para mostrarem brincadeiras de sua época. Ou algum parente que tenha algum brinquedo antigo – uma boneca, um pião, um carrinho. Estes itens podem até compor uma exposição, junto com os quadros explicando as brincadeiras.

CRIANDO NOVAS BRINCADEIRAS
Junto com as crianças, é possível também a criação de novas brincadeiras, seja mesclando brincadeiras existentes ou fazendo uma completamente nova. Por exemplo: brincar de amarelinha quicando uma bola, ou brincar de pega-pega em uma perna só. É interessante nomear esta nova brincadeira, e fazer um quadro com as regras e modo de brincar, para incluir na exposição.

SUÍTE CIRANDA
Para este projeto, eu e Dan Gonçalves escrevemos uma canção que conclama os pais e avós a se juntarem às crianças nas brincadeiras: SUÍTE CIRANDA
A suíte é um gênero de composição musical que reúne várias peças musicais, normalmente no mesmo tom, em uma peça final.
A ciranda é um gênero musical e dança originada em Pernambuco, e foi escolhido para esta canção por remeter às brincadeiras de roda de antigamente.

Tom: E
E F#m G#m
Chama o papai para pular amarelinha
A G#m
Chama a mamãe para também se divertir
A B G#m
Chama o vovô, a vovó e a titia
C#m F#m B7 E
Todo mundo em família, brincando para ser feliz!
Em7
Longe, onde o vento faz a curva
E o gato perdeu as botas
Am7
Era um tempo muito longe
Quase ninguém mais se lembra
B7
O tempo da nossa história
Que me vem nesta ciranda

E até parece que era
Em7
Ontem
Eu ainda bem me lembro
Am7
Brincadeira de criança
B7
De brincar de pique-esconde
Pique-pega, amarelinha, e muito mais!
E F#m
Cirandando, cirandando, cirandar
B7
Desta roda eu não saio
E B7
Volta e meia vamos dar
E F#m
Cirandando, cirandando, cirandar

B7
Desta roda eu não saio
E B7
Vamos todos cirandar!
E F#m G#m
Chama o papai para pular amarelinha
A G#m
Chama a mamãe para também se divertir
A B G#m
Chama o vovô, a vovó e a titia
C#m F#m B7 E
Todo mundo em família, brincando para ser feliz!

Assista esta música no youtube: https://www.youtube.com/watch?v=jiOKLtp3y7A

Comentários do Facebook