Separamos 10 dicas rápidas para a musicalização de bebês, seja individualmente ou em grupo. Para trabalhar com bebês em grupo, o ideal é que os bebês menores estejam acompanhados de monitoras do berçário, ou (ideal mas nem sempre possível) acompanhadas de seus pais. Lembre-se: utilize sempre atividades curtas, com músicas simples como “Borboletinha”, “Meu pintinho amarelinho”, etc. Ou mesmo músicas de sua autoria, o importante é que tudo seja muito divertido!

 

  • Para começar, uma canção de acolhida – bom dia, boa tarde, como vai…? É importante a delimitação do tempo da aula, pois a rotina traz segurança aos bebês.  As músicas de acolhida e despedida devem ser a mesmas por muitas aulas.
  • Separe o material que será utilizado na aula, de forma a ficar em seu alcance porém fora do campo de visão dos bebês. Assim eles não se distrairão da aula.
  • Preste atenção nas letras das músicas e as possibilidades de brincadeiras e movimentos que elas sugerem. Como a ação proposta no fim da música “A baleia”
    • A baleia / é amiga da sereia   Olha o que ela faz: / Tibum chuá
    • Ou a ação proposta por “Meus dedinhos”: Meus dedinhos / onde estão? Eles se saúdam / e se vão . Essas canções que estimulam ações e movimentos são ideais para se trabalhar em dupla: pais e filhos (quando os primeiros também estiverem presentes) ou monitoras e crianças.
  • Você pode usar fantoches e dedoches para representar os animais. Uma outra opção é fazer a representação gestual do que está sendo cantado. Algumas músicas – como “Pintinho Amarelinho” – já possuem esta representação. Caso a música não possua, você pode criar a sua própria e apresentá-la às crianças.
  • Alterne as cantigas de roda com parlendas, que são versos ritmados sem melodia, como:
    • Um, dois, feijão, com arroz / três, quatro, feijão no prato. Isso possibilita ao bebê um contato com a linguagem de forma bem lúdica.
  • Uma opção de atividade: contação de histórias simples, com usos de recursos sonoros feitos com a boca, utilizando como personagens elementos que as crianças já conhecem, como animais, meios de transporte, etc. Sempre explorando ao máximo as sonoridades, utilizando o máximo de expressividade facial e vocal, em histórias curtas e dinâmicas.
  • Utilize instrumentos de percussão ou teclas, como tambores, xilofones, teclados (mesmo que infantis), chocalhos, etc. Os instrumentos também podem ser feitos de material reciclado, sempre tomando o cuidado para que não haja o risco do bebê engolir alguma pequena peça ou grão que componha o instrumento. Essas atividades são ideais para se trabalhar a percepção do pulso musical.
  • Alterne os andamentos das músicas tocadas, durante a mesma aula ou em aulas diferentes: uma hora mais lento, outra mais rápido…
  • Uma música de relaxamento para antecipar o fim da aula: esticar os pés, deitar, receber um carinho ou massagem. Este momento é importante para que o bebê possa retomar a sua rotina antes da animação da aula de música.
  • Para terminar, uma canção de despedida, delimitando o tempo da aula, mas já deixando um gostinho de quero mais. Afinal, em breve tudo acontecerá novamente!

 

Quer saber mais? Conheça nosso curso online, com 25 atividades em vídeo exclusivas:

Atividades musicais para bebês. 25 atividades em vídeo, 100% online. Com material para download em PDF e mp3, além de vários bônus!

Fontes: Sou mae.org

estimulandomeusfilhos.blogspot.com.br

Imagens: Google

Comentários do Facebook